segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Confluêcias de Genialidade



Vincent VanGogh

A genialidade em três dimensões da arte. Vincent VanGogh na pintura, Jorge Luís Borges na literatura, Astor Piazzolla na música. Aqui estas genialidades se confluem. Admire a obra pincel e tintas, sensibilize-se com as letras, viaje no som. Enfim, deixe-se levar às profundezas das emoções destes mestres e revele as suas.


Aprendendo

Después de un tiempo, 
uno aprende la sutil diferencia
entre sostener una mano
y encadenar un alma, 
y uno aprende
que el amor no significa acostarse
y una compañía no significa seguridad
y uno empieza a aprender...
Que los besos no son contratos
y los regalos no son promesas
y uno empieza a aceptar sus derrotas
con la cabeza alta y los ojos abiertos
y uno aprende a construir
todos sus caminos en el hoy, 
porque el terreno del mañana
es demasiado inseguro para planes...
y los futuros tienen una forma de caerse 
en la mitad. 
Y después de un tiempo
uno aprende que si es demasiado, 
hasta el calorcito del sol quema. 
Así que uno planta su propio jardín
y decora su propia alma, 
en lugar de esperar a que alguien le traiga flores. 
Y uno aprende que realmente puede aguantar,
que uno realmente es fuerte, 
que uno realmente vale, 
y uno aprende y aprende...
y con cada día uno aprende.
Após um tempo, 
Aprendemos a diferença subtil 
Entre segurar uma mão 
E acorrentar uma alma, 
E aprendemos
Que o amor não significa deitar-se
E uma companhia não significa segurança 
E começamos a aprender...
Que os beijos não são contratos 
E os presentes não são promessas 
E começamos a aceitar as derrotas 
De cabeça levantada e os olhos abertos 
Aprendemos a construir 
Todos os seus caminhos de hoje, 
Porque a terra amanhã 
É demasiado incerta para planos...
E os futuros têm um forma de ficarem 
Pela metade. 
E depois de um tempo
Aprendemos que se for demasiado, 
Até um calorzinho do sol queima. 
Assim plantamos nosso próprio jardim 
E decoramos nossa própria alma, 
Em vez de esperarmos que alguém nos traga flores. 
E aprendemos que realmente podemos aguentar,
Que somos realmente fortes, 
Que valemos realmente a pena, 
E aprendemos e aprendemos...
E em cada dia aprendemos.

Jorge Luís Borges 

Astor Piazzolla . Balada para un Loco


Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje

11 comentários:

  1. Adoro essa passagem poética... simplesmente retrata de forma verdadeira como as coisas são... ótima semana!! bjxx

    ResponderExcluir
  2. verdadeiramente bela e expressiva esta passagem poética querido ... aliada à beleza plástica de VanGogh e à sutileza musical de Piazzolla ... mais linda ainda ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  3. multilingue, me encanta...
    superexpresivo, como siempre, la canción está rechida.
    un besote

    ResponderExcluir
  4. A-do-rei esta confluência, muito cult.
    Bjux

    ResponderExcluir
  5. Obrigadooo Paulo e desculpa a demora ,to meio enrolado por aqui.
    Uma ótima semana pra vc.
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Imagina Glaukito ... abração pra vc querido ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  7. Verdadeiramente belo!!!
    Amei a música q sinceramente não conhecia. Amei!

    Agora quanto ao seu comentário; é de morte mesmo...
    Fiquei admirado foi com a agilidade e competência do magrinho...
    Q q foi aquilo??? Rsrss

    Bjão amigo.
    Tenha uma ótima noite.

    ResponderExcluir
  8. Que delicia ver esse texto..!!
    è perfeito, é uam realidade na qual deveríamos ouvir como melodia, e não aceitar como apenas uma lição. É uma reflexao que coloca seus pés aos chão.

    EU AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Então Andreh e Louis ... magnificamente belo mesmo ... contundente e expressivo ... revestido de verdades incontestáveis ...

    bjux aos dois ...

    ;-)

    ResponderExcluir

então! obrigado pela visita e apareça mais, sempre teremos emoções para partilhar.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin