segunda-feira, 16 de abril de 2018

Tradição e Religiosidade nas Minas Gerais!




Aprecio e muito a nossa cultura, a nossa tradição e a nossa religiosidade em seus aspectos de dramacidade.
Este ano voltei a me fazer presente em eventos deste gênero.
Fui a Sabará, uma cidadezinha perto de Belo Horizonte, barroca e centenária, assistir e documentar sua belíssima tradição religiosa durante a Semana Santa. 
Elaborei um vídeo com as fotos dos eventos e aqui compartilho com os amigos do "enfim!"
Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Foi assim nos Bailes da Vida!


Depois de um patético circo de horrores programado pelos CANALHAS vermelhos, já ao fim da noite do histórico dia 07 de abril de 2018, que o povo brasileiro pôde dar início à virada em sua história.
Por um lado, o povo sofrido, enganado, surrupiado, roubado em seus bolsos e em sua dignidade, pôde soltar o seu grito de liberdade e de felicidade.
Confiram:



Por outro lado, a malta de cordeiros da ORCRIM [Organização Criminosa] comandada e insuflada pelo caudilho e seus asseclas, promovendo arruaça, baderna, tentativa de invasão ao prédio da Polícia Federal e confrontando as tropas de segurança.
Confiram:



Bratz, por sua vez, cantava de felicidade em solidariedade à sua gente:


Quarta feira próxima, dia 11 de abril, novo e talvez decisivo capítulo desta luta.O julgamento de ADC por parte do STF sobre a manutenção ou não da constitucionalidade do entendimento sobre a prisão de réu condenado em segunda instância após esgotados todos os recursos cabíveis nesta esfera judicial.
Estaremos alertas e esperançosos de que nossos juízes, ou a maioria deles, não nos deixem órfãos  da possibilidade de construirmos um país melhor.

Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

sexta-feira, 6 de abril de 2018

A hora está próxima!


Hoje, dia 06 de Abril de 2018, quando os ponteiros do relógio marcarem 17:00 horas, este país poderá estar iniciando uma nova etapa de sua história. 
Vivido e calejado que sou pela vida, que vem desde os tempos do Presidente Juscelino Kubitschek [este sim um homem notável em todos os aspectos de sua dimensão política], passando pelo esquizofrênico Jânio Quadros, pelo populista de esquerda João Goulart, pelos 21 anos de ditadura militar, pelo mal parido José Sarney, pelo deposto Collor de Mello e seu vice Itamar Franco, pelo meio termo do Fernando Henrique até chegar ao descalabro total do período PTista com Lula, Dilma e Temer, perdi minha capacidade de acreditar e sonhar com algo melhor para este país e seu povo.
No entanto, fatos novos vivemos e que a todos surpreende, de alguma forma, reacende uma pequena chama de esperança de que esta herança terrível possa ser desfeita. 
Vejamos no dia a dia os caminhos e possibilidades que serão vislumbradas para nosso futuro. Que venham as eleições de Outubro próximo e que por elas possamos reconstruir esta nação.
Um sonho? Uma fantasia? Não sei! 
Por enquanto viajo na magnífica performance da Orquestra Sinfônica de Berlim e no lirismo musical de Louis Moreau Gottschalk em sua brilhante Grande Fantasia Triunfal Sobre o Hino Nacional Brasileiro.


Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Um dia histórico precisa ser registrado!





Uma vez que a palavra “puta” já pode ser dita em voz alta diante das câmeras da TV Justiça, digo aqui, ainda com certo pudor, que a frágil ministra Cármen Lúcia impôs sua vontade às putas velhas do Supremo.
#simplesassim

Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

segunda-feira, 19 de março de 2018

Felicidade Clandestina! Peço um Tempo!





O dia estava pálido, e o menino mais pálido ainda, involuntariamente moço, ao vento, obrigado a viver. Estava porém suave e indeciso, como se qualquer dor só o tornasse ainda mais moço.

Clarice Lispector

ps: Voltei mas meio que não muito animado. Fase. Vai passar. Enquanto isto o Blog entra em recesso. Um dia volto. Beijão a todos.

Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Aquele mesmo vazio!



Mais uma vez me encontro/perco no quarto sem luz, ameaçado pelas paredes sufocantes. Inadequação, medo, o mesmo vazio que insiste em se fazer presente, as lágrimas sempre contidas que teimam em não verter o negrume absoluto interior. O ar se torna excessivo, e uma dor inexplicável, cortante como aquela lâmina - última companheira dos suicidas.
A bússola aponta o norte, mas lá também não é o meu lugar: “Onde está ‘Pasárgada’, lá minha dor inexiste?”. O cigarro não invade o espaço, as tragadas não têm efeito e entre uma e outra ouço pessoas cantarem uma música religiosa que diz: “Deus do impossível...”, inveja dos que têm fé. Busco nos escaninhos do meu inconsciente alguma imagem que sirva de acalanto, e encontro o mar. Inconstante, absoluto em si, belo, tão repleto de significados; tenho a sensação que ao tocar o mar resvalo o mundo por completo. As águas – talvez das minhas emoções – buscam-se a todo instante e correm para o oceano que liga todos os continentes; e sinto que também faço parte dessa grande engrenagem natural denominada “vida”. Mas a vida, às vezes, falta-me e ela (a vida) corrói, abandona, ignora e pesa. Quero fugir, mas para onde? Absorto, invadido pelo desespero e violentado pela angústia e vazio...
De súbito um sorriso brota em meu rosto estéril, e percebo um brilho em meus olhos que tentam afastar a escuridão. Um “Eu já te amo”, escrito para mim (justo nesse momento) e a dor recua, não sem lutar bravamente por seu território, afinal tenho consciência que o “Eu já te amo” é uma pequena mentira, mas algumas mentiras nos salvam. A dor continua aqui a mordiscar cada centímetro de carne do meu corpo inútil, o medo está à espreita, mas aquele despretensioso “Eu te já amo” cravou uma semente de felicidade que brota frágil e sem pressa no meio desse vazio quase absoluto.


ps: Um novo recesso. Vou passear uns dias em São Paulo. Carnaval atrasado ... rs ... volto já ...

Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

No rastro da Bandeira de Manuel!




O talento desse Paraibano de Campina Grande é uma coisa assombrosa. Desfrutar do trabalho desse artista é um privilégio. Suas poesias, seus causos, suas piadas, seus versos. Tudo é bem feito e tem a sua marca. Para quem não conhece, grave este nome JESSIER QUIRINO, arquiteto por opção, artista por vocação.

Vou-me embora pro passado

Jessier Quirino

"No rastro da Bandeira de Manuel"

Vou-me embora pro passado
Lá sou amigo do rei
Lá tem coisas "daqui, ó!"
Roy Rogers, Buc Jones
Rock Lane, Dóris Day
Vou-me embora pro passado.

Vou-me embora pro passado
Porque lá, é outro astral
Lá tem carros Vemaguet
Jeep Willes, Maverick
Tem Gordine, tem Buick
Tem Candango e tem Rural.

Lá dançarei Twist
Hully-Gully, Iê-iê-iê
Lá é uma brasa mora!
Só você vendo pra crê
Assistirei Rim Tim Tim
Ou mesmo Jinne é um Gênio
Vestirei calças de Nycron
Faroeste ou Durabem
Tecidos sanforizados
Tergal, Percal e Banlon
Verei lances de anágua
Combinação, califon
Escutarei Al Di Lá
Dominiqui Niqui Niqui
Me fartarei de Grapette
Na farra dos piqueniques
Vou-me embora pro passado.

No passado tem Jerônimo
Aquele Herói do Sertão
Tem Coronel Ludugero
Com Otrope em discussão
Tem passeio de Lambreta
De Vespa, de Berlineta
Marinete e Lotação.

Quando toca Pata Pata
Cantam a versão musical
"Tá Com a Pulga na Cueca"
E dançam a música sapeca
Ô Papa Hum Mau Mau
Tem a turma prafrentex
Cantando Banho de Lua
Tem bundeira e piniqueira
Dando sopa pela rua
Vou-me embora pro passado.

Vou-me embora pro passado
Que o passado é bom demais!
Lá tem meninas "quebrando"
Ao cruzar com um rapaz
Elas cheiram a Pó de Arroz
Da Cachemere Bouquet
Coty ou Royal Briar
Colocam Rouge e Laquê
English Lavanda Atkinsons
Ou Helena Rubinstein
Saem de saia plissada
Ou de vestido Tubinho
Com jeitinho encabulado
Flertando bem de fininho.

E lá no cinema Rex
Se vê broto a namorar
De mão dada com o guri
Com vestido de organdi
Com gola de tafetá.

Os homens lá do passado
Só andam tudo tinindo
De linho Diagonal
Camisas Lunfor, a tal
Sapato Clark de cromo
Ou Passo-Doble esportivo
Ou Fox do bico fino
De camisas Volta ao Mundo
Caneta Shafers no bolso
Ou Parker 51
Só cheirando a Áqua Velva
A sabonete Gessy
Ou Lifebouy, Eucalol
E junto com o espelhinho
Pente Pantera ou Flamengo
E uma trunfinha no quengo
Cintilante como o sol.

Vou-me embora pro passado
Lá tem tudo que há de bom!
Os mais velhos inda usam
Sapatos branco e marrom
E chapéu de aba larga
Ramenzone ou Cury Luxo
Ouvindo Besame Mucho
Solfejando a meio tom.

No passado é outra história!
Outra civilização...
Tem Alvarenga e Ranchinho
Tem Jararaca e Ratinho
Aprontando a gozação
Tem assustado à Vermuth
Ao som de Valdir Calmon
Tem Long-Play da Mocambo
Mas Rosenblit é o bom
Tem Albertinho Limonta
Tem também Mamãe Dolores
Marcelino Pão e Vinho
Tem Bat Masterson, tem Lesse
Túnel do Tempo, tem Zorro
Não se vê tantos horrores.

Lá no passado tem corso
Lança perfume Rodouro
Geladeira Kelvinator
Tem rádio com olho mágico
ABC a voz de ouro
Se ouve Carlos Galhardo
Em Audições Musicais
Piano ao cair da tarde
Cancioneiro de Sucesso
Tem também Repórter Esso
Com notícias atuais.

Tem petisqueiro e bufê
Junto à mesa de jantar
Tem bisqüit e bibelô
Tem louça de toda cor
Bule de ágata, alguidar
Se brinca de cabra cega
De drama, de garrafão
Camoniboi, balinheira
De rolimã na ladeira
De rasteira e de pinhão.

Lá, também tem radiola
De madeira e baquelita
Lá se faz caligrafia
Pra modelar a escrita
Se estuda a tabuada
De Teobaldo Miranda
Ou na Cartilha do Povo
Lendo Vovô Viu o Ovo
E a palmatória é quem manda.

Tem na revista O Cruzeiro
A beleza feminina
Tem misse botando banca
Com seu maiô de elanca
O famoso Catalina
Tem cigarros Yolanda
Continental e Astória
Tem o Conga Sete Vidas
Tem brilhantina Glostora
Escovas Tek, Frisante
Relógio Eterna Matic
Com 24 rubis
Pontual a toda hora.

Se ouve página sonora
Na voz de Ângela Maria
"— Será que sou feia?
— Não é não senhor!
— Então eu sou linda?
— Você é um amor!..."

Quando não querem a paquera
Mulheres falam: "Passando,
Que é pra não enganchar!"
"Achou ruim dê um jeitim!"
"Pise na flor e amasse!"
E AI e POFE! e quizila
Mas o homem não cochila
Passa o pano com o olhar
Se ela toma Postafen
Que é pra bunda aumentar
Ele empina o polegar
Faz sinal de "tudo X"
E sai dizendo "Ô Maré!
Todo boy, mancando o pé
Insistindo em conquistar.

No passado tem remédio
Pra quando se precisar
Lá tem Doutor de família
Que tem prazer de curar
Lá tem Água Rubinat
Mel Poejo e Asmapan
Bromil e Capivarol
Arnica, Phimatosan
Regulador Xavier
Tem Saúde da Mulher
Tem Aguardente Alemã
Tem também Capiloton
Pentid e Terebentina
Xarope de Limão Brabo
Pílulas de Vida do Dr. Ross
Tem também aqui pra nós
Uma tal Robusterina
A saúde feminina.

Vou-me embora pro passado
Pra não viver sufocado
Pra não morrer poluído
Pra não morar enjaulado
Lá não se vê violência
Nem droga nem tanto mau
Não se vê tanto barulho
Nem asfalto nem entulho
No passado é outro astral
Se eu tiver qualquer saudade
Escreverei pro presente
E quando eu estiver cansado
Da jornada, do batente
Terei uma cama Patente
Daquelas do selo azul
Num quarto calmo e seguro
Onde ali descansarei
Lá sou amigo do rei
Lá, tem muito mais futuro
Vou-me embora pro passado



Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Então, brilha!



É carnaval! Aqui, ali e acolá.
Belo Horizonte não fica atrás.
O Bloco Então Brilha, como sempre, fez desfile eletrizante, empolgando a comunidade LGBT na região do "baixo meretrício" da cidade.

Alguns registros para ficar na memória.





Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin