domingo, 13 de junho de 2021

Vamos!

 


- Rudyard, tem alguma coisa errada comigo. Eu sou diferente de todo mundo.
- Eu também, Burt. Vamos.

Howard Buten - Quando eu tinha cinco anos eu me matei.

Obs: A voz narradora desta história pertence a Burt, um garoto de oito anos com uma imaginação fecunda e que se expressa por meio de uma linguagem livre, rebelde, misteriosa e, por isso mesmo, incompreensível aos homens de bata branca do Centro de Internamento Infantil no qual está preso, por conta do que fez a Jessica. Eles o assediam, insistem, de modo compulsivo, em ler sintomas clínicos em suas fantasias e tentam submeter seus impulsos infantis aos ditames da moralidade adulta. Uma prosa maravilhosamente eficaz, um romance hipnotizante e cheio de momentos de pura emoção.
“O livro capta, de forma pungente, a profunda divisão existente entre crianças e adultos, a luta constante na qual até as crianças mais inteligentes e capazes têm de se envolver para compreender o redemoinho de palavras, ações e regras que tolhem suas vidas.”

Buten



Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

14 comentários:

  1. O que há de errado na nossa sociedade, que leva a que a delinquência também seja precoce?
    Abraço amigo.
    Juvenal Nunes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos vivendo um segundo ciclo da Idade Média meu caro. Espero que para sucedê-la, como no passado, tenhamos um segundo ciclo da Idade das Luzes.

      Excluir
  2. Há quem defenda que as crianças são boas e que a sociedade as corrompe, ou vice versa, elas são más e a Sociedade é que as educa.

    Creio que seja 50/50%
    Uns verdadeiros anjos e outros uns demónios. A Sociedade penaliza dos Anjos e promove os Demónios como verdadeiros coitadinhos lololololol É o que temos no Ocidente

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante sua reflexão amigo Francisco ... estou aqui a pensar nisto tudo ...

      Beijão

      Excluir
  3. Gosto muito de livros que falam sobre a infância, pois eralmente são profundos. Também adoro escrever histórias contando sobre a infância dos personagens. A infância define muito do que nos tornamos quando adultos.

    Abraços, PAulo, bom dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Ana! Como diziam os antigos, é de pequeno que se torce o pepino ... rs

      Excluir
  4. Muito interessante este post.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito da apresentação do livro. Fiquei curioso para ler e espero conseguir encontrar-lo.

    ResponderExcluir

então! obrigado pela visita e apareça mais, sempre teremos emoções para partilhar.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin