segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

A morte é um dia que vale a pena viver!



Neste meu aniversário ganhei, de uma pessoa muito querida, o livro da Dra. Ana Claudia Quintana Arantes - A morte é um dia que vale a pena viver.
Um livro que devorei em poucas horas, por toda a sabedoria, lucidez, clareza e dignidade com que a Dra. Ana trata o tema.
Tão empolgado fiquei que fui pesquisar sobre a autora e encontrei este vídeo em que ela faz uma palestra sobre o tema. Compartilho com os amigos, salientando que ele trará muita lucidez para cada um de vocês em algum momento pessoal em que a luz parecerá não mais existir.

ps: Se interessar pelo livro fica a dica. Amazon.

 

Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

20 comentários:

  1. Eu sou pela ideia de que todos nós somos pacientes terminais; só que alguns não percebem isso.

    Já acompanhei de pertinho o final das vidas de duas pessoas, e não é fácil, não é bonito de se ver, e para quem fica, fica também um trauma que nos acompanha e acho que nos acompanhará até o final de nossas próprias vidas, pois ver sofrer alguém que amamos, nos dá a verdadeira dimensão de nossa impotência.

    No começo, a gente acha que, se rezarmos, vamos salvar a pessoa. Fazemos promessas, grupos de oração, rezamos, vamos à vários tipos de religiões diferentes, ficamos confiantes, e finalmente, no final, desesperados. Lembro-me de chegar um dia em casa, após passar a noite no hospital com minha mãe, sentar-me em uma cadeira e começar a gritar feito louca. Gritar, apenas, sem nada dizer. meu marido, que estava em depressão profunda, pareceu despertar dos mortos para tentar me ajudar. Eu me sentia sozinha com a minha dor, e eu estava, todos estamos.

    Quando meu sobrinho descobriu que seu câncer tinha se espalhado para o cérebro, estávamos eu, ele e minha irmã (mãe dele) no INCA. Era um sábado à tarde. Minha irmã tinha saído para tomar um café, e quando trouxeram o diagnóstico, era eu que estava com ele. Ele chorou muito. Eu só pude ficar do lado dele, segurando a mão.

    na cadeira próxima, uma moça sozinha, fazendo tratamento, disse a ele:

    "Pelo menos, você tem alguém."

    Acho que foi um dos piores dias da minha vida.

    Abraços, Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente nunca estamos preparados por inteiro para a vida em todas as suas dimensões. Faz tempo que trabalho estas questões comigo mesmo de forma a lidar melhor com tudo isto. Creio que dei passos à frente nesta compreensão. Inclusive tenho meu Testamento Vital lavrado em Cartório, que aborda estas questões de como quero que meu fim seja conduzido.
      A Ana Claudia aborda com sabedoria e competência estes aspectos da vida e desenvolve o trabalho maravilhoso com os chamados doentes terminais. As coisas podem ser muito mais simples e menos doídas se soubermos conduzir a vida em todas as suas dimensões com a autenticidade e leveza.
      Também já vivenciei perdas dolorosas em que pessoas queridas se foram de mãos dadas comigo.

      Obrigado pelo testemunho.

      Beijão

      Excluir
  2. gostei quando ela Ana Claudia começou a explicação do significado de cuidados paliativos e de sua importância diante do destino: a morte.
    Embora muitos não gostem de abordar esse assunto e até consideram um tabu, a única certeza que temos em vida é que vamos todos morrer e nada melhor nos prepararmos para esse momento, morrer... Bela dica,amigo Bratz, belos dias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é de uma lucidez e de uma sabedoria ímpar. Pena que os homens não se dão conta desta única coisa certa de suas vidas. O ego "deusificado" do ser impede isto através do medo.

      Beijão querido amigo.

      Excluir
    2. Obrigado pelo carinho e belo final de semana, querido amigo Bratz;abraços!

      Excluir
  3. Interessante tema, mas complicado... A pessoa vai, mas para onde?! A religião e a Espiritualidade podem ter alguma coisa a dizer...
    A meu ver, chegámos sozinhos e partimos sozinhos.... Lágrimas e Alegria consoante a sociedade em que estamos inseridos :)

    Gostei muito

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante e sempre oportuno Francisco. Esta é a única certeza que temos na vida. Concordo com você quando você configura este aspecto: Chegamos sozinhos e partimos sozinhos. Neste contexto a morte nada mais é que um novo nascimento.
      As religiões tentaram mas falharam em seus modelos institucionalizados. Resta-nos a espiritualidade individual.

      Beijão

      Excluir
    2. Subscrevo as vossas opiniões. É inquietante, mas ao mesmo tempo é reconfortante.

      Abreijos :)

      Excluir
    3. Perfeito João. Faz parte da vida como a única coisa certa e definitiva em nossas existência por aqui ...

      Beijão

      ps: notícias do Belfort? Ele está bem? Gostando do Brasil?

      Excluir
  4. " A morte é um dia que vale a pena viver"

    Dá que pensar esta frase. Profunda de vivência e inteligência
    .
    * Adejam pétalas ... como lábios se beijando *
    .
    Deixando votos de um dia feliz
    Boa tarde

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza ... Obrigado pelo carinho da visita e pelo registro. Indo retribuir a atenção ...

      Beijão

      Excluir
    2. ah ... já te conhecia e também seu blog ... Brincando com as palavras ... OMG ...

      Excluir
  5. Bacana a indicação, afinal morte é inevitável.

    ResponderExcluir
  6. Que delícia assistir esse vídeo! Na minha graduação de Psicologia, eu aprendi muito sobre cuidados paliativos pois tinha uma professora mestre q trabalhava nessa área no hospital do Câncer de Barretos. Mandei até esse vídeo pra ela. Morro de vontade de me especializar nisso. Gratidão por ter compartilhado esse vídeo!

    Abraços

    Alê
    https://nossoconfessionariopublico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa bacana ... não sabia q você era psicólogo e ainda mais que gostava desta área. A Ana é fantástica. Ela tem vário vídeos sobre este tema e o livro é incrível.
      Parabéns e sucesso profissional.

      Bejão

      Excluir
  7. Lembro sempre de uma frase de Epicuro citado por Irving Yalom sobre a preocupação excessiva com a morte....
    "Onde a morte está, eu não estou. Onde eu estou a morte não está".
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito José mas ela se faz presente enquanto certeza única desta vida.

      Excluir
  8. Querido Paulo, assisti ao vídeo e concordo com a médica sobre a ciência da vida e da morte.
    Dói, dói muito ver pessoas sofrendo sem chance de recuperação, nisso eu sempre fui preparada, minha mãe, (sempre minha mãe) que me fez ver a naturalidade disso, ela mesma me preparou para a "partida dela", isso faz 28 anos, de lá para cá vi muitos amados meus indo.
    Só nesse ano já foram uma tia, e ontem um primo-irmão.
    Choro, claro que choro, sinto tudo, deixo fluir toda a dor, depois caio na realidade e sigo, escrevendo, dizendo o meu sentimento!
    Meu amigo,tem uma coisa que ninguém se acostuma é com a morte, mas ela faz parte da vida, falar nela não é problema nenhum, mas nem todos aceitam, esse é o maior problema!
    a frase sobre a morte que gosto de lembrar é a de Epicuro, assim como Jose Soares mencionou, quando a morte chega já não estamos mais presentes, nosso espírito vai antes!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Ivone ... mas uma realidade incontestável e única enquanto vivos ...

      Beijão

      Excluir

então! obrigado pela visita e apareça mais, sempre teremos emoções para partilhar.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin