segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Gisberta!


Misturando política, história, música, teatro, poesia e ficção, a montagem idealizada por Lus Lubianco coloca sob os holofotes questões como identidade de gênero e respeito às diferenças, sempre pertinentes. No espetáculo, que busca tornar conhecida a história de Gisberta no Brasil, o ator dá vida a vários personagens, sendo acompanhado por três músicos em cena e, de maneira delicada, transita entre o humor e o drama.
Depois de 25 anos em Portugal [Porto], vivendo já em condições de indigência, Gisberta estava à margem da sociedade, estigmatizada pro múltiplos fatores: transexualidade, prostituição, drogas, AIDS, imigração ilegal. A sua história, atravessada pela transfobia, marcou a sociedade portuguesa e levou a um aprofundamento dos debates sobre discriminação e direitos humanos no país, com impactos positivos nas leis de igualdade de gênero e também na abordagem de tema pelos meios de comunicação.
Um espetáculo ímpar, com roteiro, direção, produção, elenco, cenografia, iluminação impecáveis, colocando-o à par de sua simplicidade, dentre os melhores que já assisti.
Em cartaz no Centro Cultural do Banco do Brasil em Belo Horizonte [CCBB - Circuito Cultural Liberdade] até o dia 05 de fevereiro. Imperdível.

 


Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje ...

16 comentários:

  1. pouco sabia sobre, então fui dar uma 'espiada' sobre Gisberta; discriminação múltipla, violência gratuita e que serviu como um 'tapa na cara' dos legisladores, que criam leis para proteger somente após uma tragédia consumada, bela dica sua! Bela semana, abraços,Bratz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma história triste que marca o SER humano. Não muito diferente de tantas outras. O tempo passa mas o SER não muda. Continua mesquinho, preconceituoso e monstruoso também.

      Obrigado pelo registro meu amigo ...

      Beijão

      Excluir
  2. A história da Gisberta é muito triste. Recordo-me bem do seu brutal homicídio, que teve grande repercussão na sociedade portuguesa, com amplo destaque da imprensa, até pelas consequências: por um lado, eu diria que se alterou o paradigma, em Portugal, quanto à violência exercida sobre os transexuais; pelo outro, chocou-nos a quase desculpabilização dos sujeitos que mataram. Mas há, seguramente, no que diz respeito aos transexuais, um Portugal pré-Gisberta e pós-Gisberta.

    um abraço, amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que magnífico depoimento meu querido Mark. No fôlder desta peça a produção deixa bem claro este aspecto que você levanta com muita pertinência. As mudanças culturais em Portugal do pré para o o pós Gisberta. Uma história triste desta pessoa, tão triste quanto d degenerescência da sociedade humana. O tempo passa e ainda continuamos na idade da pedra com nosso egoísmo, brutalidade e preconceitos.

      Obrigado pelo carinho de sempre.

      Beijão

      Excluir
  3. Infelizmente Portugal não é assim tão Gayfriendly como se diz :(

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas onde é Gayfriendly meu caro ... existe algum lugar do mundo assim?

      Excluir
  4. Bratz ! Confesso minha ignorância ! Não sabia de Gisberta, fui me informar !
    Que história infeliz ! Gisberta tinha que ser mais lembrada e divulgada, e a mudança que ela, sem querer, conseguiu em Portugal ... triste !
    Valeu pelo post !
    Bjo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso minha ignorância também. Quando tomei conhecimento da peça é que fui pesquisar sobre Gisberta e sua vida. A peça é um espetáculo à parte.

      BEijão

      Excluir
  5. Deve ter sido um belo espetáculo Paulo. É preciso expor tais questionamentos. Nossas leis, as humanas, precisam estar sempre evoluindo.... e pra melhor, se possível. O Brasil infelizmente, parece estar na contra-mão dessa evolução.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Margot. Sim, questionar e denunciar sempre. isto é fundamental. Estamos, com certeza, na contra-mão dos fatos mas, não creio ser um problema só nosso aqui não. Infelizmente.


      Beijão querida e muitas felicidades.

      Excluir
  6. Ainda bem que existem encenadores que criam estes espectáculos para darem a conhecer histórias como a da Gisberta. Tudo foi trágico e traumatizante, mas felizmente muita coisa mudou para melhor depois disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza João, há que se divulgar e abrir a discussão para que as coisas mudem ... Beijo grande

      Excluir
  7. Pede para o espetáculo vir pro interior de SP, please!?

    Abraços

    Alê
    https://nossoconfessionariopublico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Que história triste, este espetáculo deve ser muito forte. Espero que as coisas melhorem, pois ainda está difícil.

    Você pode dar uma olhadinha no meu blog? Escrevi sobre ótimos músicos cearenses : https://arteculturaespiritualidade.blogspot.com.br/2018/01/um-toque-cearense.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho da visita e registro Sim uma história triste e pesada que retrata bem toda a hipocrisia e violência do ser que se diz humano.

      Beijão

      Excluir

então! obrigado pela visita e apareça mais, sempre teremos emoções para partilhar.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin