quinta-feira, 13 de junho de 2013

O Padre!






O coração batia-lhe ruidosamente no peito e ele perguntou: quem está aí? – Boris Vian 
A igreja lotada no domingo, mais do que era de costume. Do púlpito o padre olhou a todos, preparando-se para mais uma pregação. Era muito cedo, e sentia-se cansado. A noite fora cercada de pesadelos nefastos com anjos e demônios disputando o cetro de Deus. Ele acordara ao sentir o peso de um corpo caindo sobre si. Era um demônio, e sorria para ele como velho conhecido. Ao olhar para a sua comunidade sentiu náuseas – mulheres, crianças sonolentas, homens velhos e solitários, as almas de toda uma vida. Revisou os escritos daquela manhã, noite ainda, e teve a certeza de que nenhuma daquelas palavras serviria. Procurou alguma coisa dentro de si mesmo que lhe desse conforto. Tinha perdido a fé, e quem não pode confortar a si mesmo, pouco tem a dizer para o conforto dos demais. Lembrou da releitura recente de Montaigne, o trecho Da Fisionomia, em que o pensador afirma que todos vão para outro lugar e rumo ao futuro, mas que ninguém chega a si mesmo. Olhou para a abóbada uma última vez procurando um ponto de apoio naquelas imagens, um sinal talvez, mas não havia nada. De repente, sua voz se ergueu com decisão: 
“Homens e mulheres, este é o nosso último encontro nesta Igreja. A partir de hoje eu não represento mais aquele a quem vocês chamam de Deus Nosso Senhor”. 
Poucas pessoas tinham começado realmente a ouvir o que o padre estava dizendo e o espanto delas chamou a atenção das demais. Depois de uma longa pausa, o padre prosseguiu: 
“Eu sou um homem sem Fé e trago comigo, para mim, uma nova convicção”. 
A onda de cabeças movendo-se para lá e para cá sentenciava, aturdida, a desgraça daquele homem. Talvez por curiosidade humana, que comumente prevale sobre as suas demais necessidades, o burburinho repentinamente se apaziguou em silêncio profundo: 
“Eu decidi partir para encontrar algo de mim que perdi em algum lugar, seja o que for, ainda é importante para mim. Eu devo usar o tempo que me resta para acercar-me de mim mesmo. Eu sou o meu único princípio e fim e assim me coloco diante do mundo. Mesmo que no livro de Jeremias esteja escrito: maldito é o homem que confia no homem. Mesmo que eu habite no deserto.” 
Algumas pessoas começaram a se levantar e ir embora de forma a proteger seus filhos e senhoras idosas, lentamente, saiam pela imensa entrada da Igreja. No meio da multidão que se erguia em sons de escândalo e vergonha um homem perguntou: 
“Padre, qual foi o nosso pecado?”. 
O padre procurou em vão a voz. Sentia a mão do demônio que o acordara naquela manhã segurando o seu ombro. A roupa lhe pesava ainda mais e seu corpo suava como se se esforçasse para erguer uma cruz pesada demais, mesmo para o mais santo dos homens. 
“O medo foi o vosso maior amigo. Cristo, em seu martírio, suplicou a Deus Pai que os perdoasse, por vocês, supostamente, não saberem o que fazem. Pois eu lhes digo, vocês jamais saberão quem são. E procurando fora de si dão oportunidade para uma vida fora de si. Eu digo que cada homem, de algum modo, venha de onde for, vá para onde for, está certo“. 
Dito isso, cerrou seus olhos, e desceu do púlpito despindo-se das vestes sacramentais. Tornou-se homem comum novamente e como homem morreu um dia, depois de uma longa vida. Levava para o túmulo o seu próprio demônio. Se descobriu ou não quem ele era, esta é uma resposta dada apenas a um homem de cada vez, porque está escrito no coração do destino que apenas o homem pode ler a própria alma sem cometer um único erro. 


Bratz Elian
enfim! é o que tem pra hoje...

31 comentários:

  1. Qualquer sacrifício vale a pena pela busca de si mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. penso q este é o único caminho com algum sentido para a vida ... o SER ...

      Excluir
  3. Respostas
    1. Tudo o q realmente importa está no SER mais profundo de cada um de nós ...

      Excluir
  4. Bratz:

    Precisamos sempre buscar a nós mesmos.

    Beijo meu amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim querido buscarmo-nos sem medos do q vamos encontrar ... o q vamos encontrar é a nossa verdade, nada mais q isto ...

      Excluir
  5. Coisa rara alguém ter a certeza de procurar o seu eu e achar, pois poucos fazem um backup de si.
    Realmente é emocionante e nos deixa incrédulos.
    Sabemos que Deus mora dentro de nós assim como o Demônio.
    Abraço
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deuses de Demônios ... da síntese destes dois paradoxos surge a verdade de nosso SER ...

      Excluir
  6. Todos temos um lado bom,que é maravilhoso,e um mau,que pode se tornar perverso,o segredo é equilibrar as duas forças e tentar viver do melhor jeito que pudermos,sem prejudicar ninguém!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o equilíbrio é o q deve nortear a essência de qualquer SER ...

      Excluir
  7. quem é alexandre magno da silva?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um blogueiro querido ... o link do blog está no nome dele aí no post ...

      Excluir
  8. Nossa! Nem vou fazer graça... Curti muito meisssssssssmooo!!! Bjos - equilibrados - pro senhor! Hehehehe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pensei q ias falar dos nossos demônios ... kkkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. Hahahaha... preferi "deixar quieto"... hehe! Bom findi, minha linDURA!!! BjAAAs!

      Excluir
    3. tudo bem, fica quietinho ... deixa q eu mexo ... fica mais gostoso assim ... rs

      Excluir
  9. Olá Bratz!

    Tudo bom contigo, querido?
    Obrigado pela passada lá no cantinho, você sempre atencioso!

    Quanto ao post, adorei o texto! Até salvei o blog pra ler mais coisas depois! É como ouvi uma vez: "há horror e delícia em cada um de nós".

    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo legal Freddie ... agradeço a vc o carinho tb ... Sim, todos nós somos esta mistura de paradoxos ...

      Excluir
  10. Bem legal! Eu sou uma pessoa que vivo constantemente questionando tudo, inclusive a minha vida e o sentido dela, então volta e meia me encontro numa situação assim, em que sinto que as velhas fórmulas não estão funcionando mais e preciso de novos rumos...

    Beijocas

    ResponderExcluir
  11. Olá!Boa tarde
    Bratz
    Belo texto do Alexandre Magno...somos essa existência , paradoxal e repleta de ambiguidades, afetada pela mudança que suplanta a mudança, tanto para o bem como para o mal...e mesmo que não tenhamos nenhuma crença religiosa, mesmo que só acreditemos e aceitemos a realidade material, ainda assim, estamos sujeitos à eterna busca de si mesmo, exatamente para corrigir a rota de seus destinos, e, principalmente, absorver a lição que cada situação de vida de acordo com o que queremos alcançar...
    Obrigado pelo carinho de sempre
    Bom final de semana
    Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a vida é uma somatória de paradoxos ... resta a nós harmonizá-los ...

      Excluir
  12. Prefiro sofrer ao extremo do que voltar a ser comum ou ter uma resposta do quem sou eu. Gosto mais da dúvida

    bjos

    ResponderExcluir
  13. Olá!Boa tarde
    Bratz

    Obrigado pelo carinho de sempre
    Bom "restinho" de domingo e belo início de semana
    Abração

    ResponderExcluir

então! obrigado pela visita e apareça mais, sempre teremos emoções para partilhar.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin