segunda-feira, 31 de maio de 2010

O que quero de voce


Um dos magníficos blogs que tenho o prazer de visitar é o Lambe-Lambe, do gaúcho Rodrigo Teixeira. Como referência, destaquei para aqui compartilhar, esta maravilha:

O que eu quero de voce

Você me pergunta o que eu quero de você, me pede pra abrir meu coração. E eu nunca sei o que dizer. Sempre queremos tanta coisa, e quando tem alguém ali, pronto pra oferecer... Parece inacreditável.
O que é fácil fica difícil, como escolher os desejos diante do gênio da lâmpada. Queremos tanta coisa que, de repente, não conseguimos querer nada.
Mas tá bem: você me quer, e eu quero ser feliz, como todo mundo que eu conheço. Você, como eu, sabe que, por melhores que sejamos, conseguimos boas doses de felicidade nessa vida quando estamos tentando dividir o melhor de nós com alguém. E deve saber também que poucas coisas na vida podem nos fazer sentir mais seguros do que achar alguém que conheça os nossos defeitos e nos ajude a usá-los a nosso favor; alguém que tenha paciência com os nossos maus dias; alguém que goste de viver e nos dê alegria; alguém que saiba reparar em nós o que ninguém mais vê; e alguém que nos faça morrer de desejo, como quem deseja uma garrafa de água depois de andar quilômetros no mais absoluto deserto.

Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

domingo, 30 de maio de 2010

Sem Dor, Sem Medo, Sem Máscara


Hoje trago para voces uma indicação literária. Um grande amigo conhecido na blogosfera como Pablo Torrens, do Blog Homologado, iniciou sua aventura literária em grande estilo. Trata-se de uma obra leve, gostosa de ler, que retrata um pouco de seu eu, de seu mundo e de sua homossexualidade. Tive o privilégio de ler em primeira mão a algum tempo atrás e gostei muito. Os amigos que se interessarem poderão acessar o Blog Homologado, ou mesmo, o site específico criado para suas obras . Pablo Torrens. Vale a pena conferir e dar aquela força a quem inicia sua trajetória. Fica a dica.

Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

sábado, 29 de maio de 2010

A Voz



Dia 16 de abril comemora-se o dia mundial da voz. Ele foi instituido com o objectivo de sensibilizar as pessoas para a importância da voz e os cuidados a ter para manterem-na saudável. Para comemorar, em várias partes do mundo, foram apresentadas suites de óperas famosas, não em teatros ou salas de concertos mas,  dentro de Mercados. O resultado foi, no mínimo, surpreendente e fantástico. Veja a baixo algumas apresentações, vale a pena.

Philadelphia . USA



Valência . Espanha



São Paulo . Brasil



Belo Horizonte . Brasil



Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Cartas




A Zaél Abreu

São Paulo, 15 de maio de 1980.

Querido pai,

Fazia tempo que queria escrever para o senhor, desde que voltei daí, no final de fevereiro. Acontece que foi uma correria danada, com o novo trabalho, a nova casa, a complicação toda com os documentos, a vinda de Simone — enfim, mil coisas me roubando tempo e disposição. Agora está tudo mais calmo. Já me adaptei ao trabalho, estou sozinho em casa. Tudo corre melhor, mais solto.

Fiquei um pouco preocupado com o senhor quando estive aí. E o senhor vai me permitir ser franco: tenho a impressão de que o senhor está levando uma vida muito amarga. Ficou na minha cabeça uma frase que o senhor disse logo ao voltar daquela viagem a Santiago, algo como “Eu já morri e não sei”. Ô pai, que é isso? Entendo — e mais profundamente do que o senhor possa imaginar — o quanto a mudança de Santiago para Porto Alegre, a reforma no quartel o abandono da Maçonaria devem ter agido dentro do senhor para que fosse acontecendo esse sentimento de distanciamento da vida. Mas acontece que o senhor não colocou outras coisas para substituir essas. E eu não entendo por quê. O senhor abandonou até mesmo a leitura, parou de ir ao cinema, de sair. Quer dizer, deliberadamente foi-se afastando de tudo. Num velho, eu até entenderia essa atitude. Mas o senhor não é um velho.

Imagino que existam razões fortes, ou complexas, dentro do senhor para provocar essa atitude. Mas há de concordar comigo que, fora do senhor, essas razões não existem. Tenho andado bastante por aí, conhecido muita gente e, honestamente, pouquíssimas vezes (ou quase nunca) encontrei uma família como a nossa. Unidos, amigos, solidários — com essa mãe fantástica que é a Dona Nair segurando a barra de todos. Amigos meus que os conhecem — como, por exemplo, o José Márcio — ficam muito impressionados, “Mas como” — eles dizem — “é que vocês conseguem se manter assim quando todas as famílias por aí estão desmoronando?” E eu não sei explicar. Acho que é uma questão de amor.

Fiquei preocupado também com a mãe, quando estive aí. Ela está cansada, pai. E muita seguração de barra. Há anos, meu Deus, ela só trabalha, sem descanso, quase sem diversão. Achei-a triste.

Mas não pense, por favor, que esta carta é para recriminá-lo por alguma coisa. Não se trata disso. Apenas gostaria de compreendê-lo melhor e, se possível, de ajudá-lo — como o senhor e a mãe me ajudaram (e ainda ajudam) durante muito tempo. Eu gostaria de convidá-lo para vir, com a mãe, passar um tempo comigo. Acho que julho é uma boa época, porque coincide com as férias da mãe e tal. A casinha é realmente ótima e, como estou sozinho agora (e por muito tempo), há bastante espaço. Tem dois quartos em cima, um deles seria de vocês, Por enquanto, ela está um pouco vazia. Como estou comprando o telefone (saiu 50 mil), este mês me sobrou pouquíssimo dinheiro. Mas acabo de pagá-lo no final de maio, portanto em junho ela deve estar pronta.

Fora a alegria que me dariam, acho que faria muito bem ao senhor sair um pouco. Tem tanta coisa aqui por cima, pai. São Paulo é uma cidade fascinante, cheia de vida. Depois, lembro que Tia Ninica ofereceu o apartamento dela, no Rio — vocês poderiam estender a viagem até lá — uma cidade linda demais. Pense nisso. Gostaria tanto que o senhor e a mãe conhecessem o lugar onde vivo. E não me venham com desculpas tipo “dinheiro”. A passagem de ônibus custa tanto quanto de Porto Alegre a Itaqui, e de avião pode ser feito um crediário que sai ainda mais barato. Eu não vejo problemas.

Talvez o senhor não tenha vontade de sair — mas será que não vale a pena um esforço? Às vezes a gente vai-se fechando dentro da própria cabeça, e tudo começa a parecer muito mais difícil do que realmente é. Eu acho que a gente não deve perder a curiosidade pelas coisas: há muitos lugares para serem vistos, muitas pessoas para serem conhecidas. Tudo isso estimula a gente, clareia a cabeça, refresca. Por que não?

Quanto a mim, acho que estou muito bem. Poucas vezes tenho me sentido assim. Pela primeira vez, estou comandando completamente a minha própria vida. Morar só é uma experiência fantástica. Tenho uma empregada ótima, Renilda, uma baiana flor de boa vida, mas muito bom caráter (e como isso é raro por aqui, o resto não importa muito). A casa tem um jardinzinho nos fundos, um pequeno pátio, que tenho cuidado muito, principalmente nos fins de semana. Terça-feira aconteceu uma coisa ótima. Como o senhor sabe, há quatro anos eu fazia psicoterapia. Primeiro aí, dois anos, com o Dr. Mário Bertoni, que morreu naquele desastre. Depois continuei aqui, em grupo. E há alguns meses eu vinha pensando em parar. Não sentia mais grandes problemas para discutir. Nesse tempo todo, aprendi a me conhecer, a conviver comigo mesmo, me tornei muito mais tranqüilo, muito mais seguro. Falei nisso às outras pessoas do grupo, ao Dr. Domingos, o psicanalista, e à Suzana, a psicóloga assistente dele. Foram ótimos comigo: acham que eu estou realmente bem, que tenho mesmo condições de segurar a minha barra sozinho. Enfim, ganhei alta — o que é uma coisa rara em terapia. Às vezes as pessoas ficam dez, quinze anos em tratamento. Isso me deixa ainda mais confiante.

No trabalho, tudo vai bem. Tenho um chefe excelente — Caloca tinha sido meu chefe na Pop, e me protegeu durante muito tempo. Ontem consegui terminar um trabalho que vinha fazendo desde março, um livrão de mais de 500 páginas sobre educação de bebês. Continuo fazendo as críticas de livros para Veja e, de vez em quando, algumas matérias para a Nova. Como meu salário aqui é de 52 mil, às vezes tiro 60/65 por mês. Dá para levar, apesar do Delfim Neto...

Agora que tudo está mais ou menos em ordem, quero começar a aprontar um novo livro. Estou transando com uma editora do Rio (a Nova Fronteira, que pertencia ao Carlos Lacerda) para publicá-lo. No momento, creio que é a melhor editora do Brasil. Acho que tudo vai dar certo e — quem sabe? — no começo do próximo ano talvez esteja com um livro novo à venda por aí. Insisto mais uma vez: gostaria profundamente que o senhor e a mãe pudessem vir. Por favor, vão pensando nisso desde agora. Vamos passear muito. Há lugares ótimos para conhecer.

Espero que estejam todos bem. Um beijo para a mãe, Cláudia e Márcia. Um abraço para o Felipe. Sei que o senhor não gosta de escrever cartas, mas se quisesse responder eu gostaria muito. Cuide bem de sua saúde.

Um grande abraço do seu filho

Caio
PS — Minha erva mate acabou completamente — tenho procurado em mil lugares e não encontro, O senhor podia me mandar um ou dois pacotes de Madrugada Amarga?

Caio Fernando Abreu



Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Palavrão com Cultura




Você sabia que antigamente, na Inglaterra, as pessoas que não fossem da família real tinham que pedir autorização ao Rei para terem relações sexuais?

Por exemplo: quando as pessoas queriam ter filhos, tinham que pedir consentimento ao Rei, que, então, ao permitir o coito, mandava entregar-lhes uma placa que deveria ser pendurada na porta de casa com a frase 'Fornication Under Consent of the king' (fornicação sob consentimento do rei) = sigla F.U.C.K., daí a origem  da palavra chula FUCK.

Já em Portugal, devido à baixa taxa de natalidade, as pessoas eram obrigadas a ter relações:
'Fornicação Obrigatória por Despacho Administrativo' = sigla F.O.D.A., daí a origem da palavra FODA.


Por sua vez, quem fosse solteiro ou viúvo, tinha que ter na porta a frase: 'Processo Unilateral de Normalização Hormonal por Estimulação Temporária Auto-induzida', sigla P.U.N.H.E.T.A., saí a palavra PUNHETA.


Vivendo e aprendendo...
A gente pode até dizer palavrão, mas com conhecimento e cultura é outra coisa!!!


contribuição via e-mail . obrigando Sandrinha

Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Para os Gordinhos Neuróticos de Plantão


Vi no Blog do Lu Cidreira e não resisti . Lembrei-me de vários amigos e amigas que aqui frequentam que adoram um fazer um drama quando o assunto é uns quilinhos a mais. Me desculpem os que padecem deste mal, mas morri de rir lendo esta crônica. Ri  tanto que fiquei preocupado em perder alguns quilos que não posso, sob o risco e sumir pelo ralo do banheiro na hora do banho ... hihihi ...

Tenho dois grandes problemas em relação a meu peso: 
1 - Dificuldade de emagrecer e 2 - Facilidade de engordar. 
Em algum lugar do meu DNA implantaram um gene de urso polar e meu organismo sempre tem a sensação de que eu vou hibernar durante seis meses e, assim, resolve guardar tudo o que como, pra sobreviver ao inverno. 
O problema é que a vida do urso polar é só inverno.
Sem contar que eu devo ter um sério distúrbio oftalmológico, ligado ao acúmulo de gordura, porque basta eu olhar para uma lasanha que minha bunda aumenta.   
Claro, ao longo da vida já engordei, emagreci, engordei, emagreci, como qualquer sanfona histérica. Nada de tão grave que me impedisse de virar a roleta no metrô com uma pequena ajuda ou que me fizesse entalar na roda-gigante.  
O caso é que nesse engorda-emagrece engorda-emagrece, eu parei por último no engorda. 
O problema é que passar a vida inteira preocupado com o peso é um porre. 
E a pior parte é ouvir as mesmas soluções e receitas de dieta que você não vai fazer, como: "Comer muita fruta, muita verdura, cortar massas e suspender o açúcar". 
Ah, então tá. Vamos cortar as massas.
Pega a tesoura, por favor, que eu vou picotar o espaguete e já volto.
O açúcar eu vou guardar em cima do armário prá ficar suspenso. 
As frutas eu vou comer, todas, como um bom abacatesão e uma jaca gay. 
Vamos deixar de ser hipócritas, o mundo ocidental, capitalista, foi projetado para produzir gente gorda. Você vai na lanchonete e tudo é gorduroso, calórico e cheio de açúcar. Pra disfarçar eles vendem uma daquelas saladinhas transgênicas cuja embalagem é mais saudável que o conteúdo. 
Em qualquer lugar do planeta, na padaria, no posto de gasolina, na banca de revistas, você pode comer salgadinhos, bala, chocolate, tudo que engorda. Ninguém nunca viu um pacote de cenoura picada, pepino em rodelinha, talos de salsão na boca de caixa da padaria. 
Porém, não é só a ingestão da comida que é programada para deixar você obeso e infeliz:
Todo o marketing da indústria do emagrecimento foi construído para mentir e levar seu dinheirinho. 
As modelos que vendem aparelhos de ginástica, fazem lipo, botam silicone e depois vão dizer que foi aquela cadeirinha super-duper-lipo-sculpt, em quatro parcelinhas de xis e noventa e nove, que fez com que ela ficasse com aquele corpinho. 
O apresentador toma remédio pra emagrecer, faz uma plástica e depois vende diet-sucos pra enganar você. Quem nasceu magro, seja magro de ruim [MEU CASO] ou magro de fome, está na vantagem.
Vai economizar muito dinheiro, tempo e sanidade mental. [MORRAM DE INVEJA!] 
Quem tem tendência a sair rolando, sabe como é o momento de enfrentar a balança do banheiro. Primeiro você tira a roupa, o sapato, a meia, e sobe na balança (eu tiro tb a piranha do cabelo e os óculos de grau, mas daí, na hora de ver o peso sem os óculos, sempre acho que estou vendo errado. Não acredito naqueles quilos todos. 
Aí você faz xixi, escova os dentes, corta as unhas, pra se livrar de mais alguns gramas e sobe na balança de novo... Nada! O ponteiro já está rindo da sua cara e não sai do lugar. 
Você resolve botar mais coisas pra fora.
Chora, corta o cabelo, tira a sobrancelha, depila as pernas, arranca uma obturação. Nada! 
Dá vontade de pular da janela, mas morrer gordo e pelado é o pior vexame [HHHAAA]. 
Melhor ficar vivo com uma roupinha larga. 
Você volta, se veste e sai do banheiro se sentindo uma pizza de ontem grudada na tampa, um lixo, um nada. Mas, dizem que enquanto há vida há ex-pelancas e para tudo há uma solução. 
É só você fazer reeducação alimentar. Ah, bom!
Era isso... Falta de educação. 
Agora sim, vou dividir minhas horas do dia, fragmentar as refeições, ingerir mais proteínas do que carboidratos, trocar o açúcar por adoçante e tudo vai dar certo. Sim, porque no fim, você vai ao spa, faz uma lipo, bota uma prótese. 
Se não der certo, você grampeia o estômago, costura a boca e amplia o reto!
Você vai ver que fácil vai ser, você vai ficar magro, direto! 
"O que eu faria com uns 'quilinhos' a menos'? 
Sairia correndo pra dar um soco na cara do imbecil que criou esse comercial! 
Aproveitando o nome do remédio já faço a rima: vá K-gá [hahaha]!!! 
Agora, com licença que eu tenho que sair pra caminhar. 
Sabe, fazer exercícios queima calorias... Emagrece... Ou pelo menos, desengorda!

Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...


terça-feira, 25 de maio de 2010

Lula negociará com Deus o fim do Pecado Original


Lula diz para Deus: “O Senhor não deve saber por que não sente fome, mas maçã nem é tão bom assim.”
Notícias do PARAÍSO – Depois da bem sucedida missão ao Oriente Médio, onde conseguiu estabelecer uma paz duradoura entre judeus e palestinos, Lula declarou que intercederá junto a Deus Pai para que Ele nos perdoe de uma vez por todas do pecado original.
A caminho de Barcelona, onde pretende resolver a questão basca, Lula disse que é preciso chamar o Misericordioso para o diálogo:
“Chega de tratar o Supremo Arquiteto como um ente distante e poderoso. Durante muito tempo vivemos com esse complexo de vira-latas em relação a Ele. Está na hora de acabar com isso e conversar de homem para Deus”, disse Lula, enquanto negociava um acordo entre os armênios e os turcos.
Segundo os termos da proposta, em troca do perdão, o Verbo Encarnado receberá três bolsas-família pelo resto da eternidade.
Não faz sentido a gente discutir se é verdade ou não essa história da Santíssima Trindade. Perdoou, recebeu por três”, explicou o presidente.
Lula deixou claro que não negociará com o Arcanjo Gabriel nem com São Pedro, como sugeriram algumas agências de notícia: “Só falo com o Bem Absoluto." É uma questão de protocolo.
Para o presidente, o Arcanjo Gabriel não passa de um sub do sub, e São Pedro, apesar de simpático, no fundo, no fundo, é apenas um pescador promovido a porteiro qualificado e que não se filiou a nenhum sindicato. Logo não paga contribuição anual...
“Não tenho tempo a perder”, explicou Lula, que até o fim da tarde pretende anunciar um armistício entre Suzana Vieira e todos os seus ex-maridos.
Aproveitando a ocasião, a ministra Dilma Rousseff confirmou que proporá a criação de uma estatal para explorar o Mel e o Maná que emanam do céu. Rousseff acrescentou que não procedem as notícias de que José Dirceu fará a indicação do diretor responsável pelo fundo de pensão da nova empresa.
Em notícia paralela, após longas conversas com a serpente, o assessor da Presidência, Marco Aurélio Garcia concluiu que o réptil é mais uma vítima da imprensa burguesa.

Coisas da imprensa contemporânea ...

Jornalista Desconhecido

contribuição via e-mail . obrigado Verinha

Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje ...

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Uma marca em minha vida!



Recebi esta questão do amigo Glauko do Blog Glaukitos.

Confesso ser esta uma questão bem difícil. Escolher uma música que seja como parte de mim, que seja minha cara, que tenha me marcado é complicado. Sou um apaixonado por musica e sendo assim há muitas músicas que não saem da minha cabeça. Mas, vamos lá, pra cumprir o meme vou citar uma música que é muito forte e marcante na minha vida.

The Beatles . The Long and Winding Road . Beatlemaníaco meeeeeeesmo.




Agora, vou pegar todos os amigos pelo pé. Quero saber a marca de cada um de voces.

AD, Arsênico, Caim Sodon, EFS, Lord V, Edu . Pampublikong, Hugo . Gato de Cheshire, Lobo Cinzento, Fred . Vaca Jersey, Mulher *, Hello Motta, Guará, Jana, Não enche que já estou cheia, Mauri, Visão, Caju, Wans, Mello, Paulo Fayzano, Endim, Lobinho, Tiozinho, Caio Lima, Robson Schneider, Abdoul, Neurotcogay, Introspective, James Penido, Ediney Santana, Renato Orlandi, Daniel Braga, Voy, Peter . Sex and the City, A Hora da Xepa, Pablo, SAM , Vanderson, Raphaela ...
e ... e ... e ...
DD … kkkk … [nunficabravocomigonãoviu?]

Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

sábado, 22 de maio de 2010

Teste das Cores


A dica veio do Edu [o do Mau ... Mau de Maurício viu???] e virou coqueluche entre os amigos ... uns aprovando outros odiando ... eu gostei, achei, no mínimo interessante, como todo e qualquer teste do gênero. O meu foi assim:

Como você opera, age, frente aos seus objetivos e desejos:


Precisa de ambiente calmo. Quer libertar-se da tensão, de conflitos e desacordos. Esforça-se por controlar a situação e resolver seus problemas, por um procedimento cauteloso. Tem grande sensibilidade e apurada noção de detalhes.

Busca uma relação afetuosa, que ofereça realização e felicidade. É capaz de entusiasmo emocional intenso. É prestativo e disposto a adaptar-se, se necessário, para realizar o laço afetivo que deseja. Precisa da mesma consideração e compreensão que dispensa aos outros.

Suas preferências reais:

Busca seus objetivos e seu interesse pessoal com obstinada determinação; recusa-se a meios-termos ou a fazer concessões.

A situação presente contém elementos críticos ou perigosos, para os quais é imperioso encontrar solução. Isto pode levar a decisões súbitas e mesmo imprudentes. É rebelde e rejeita qualquer conselho de outrem.

Sua situação real:

Fica angustiado quando suas necessidades ou desejos são incompreendidos, e sente que não tem a quem recorrer, ou em quem confiar. É egocêntrico; portanto, ofende-se com facilidade.

O que você quer evitar:

Interpretação fisiológica: Tensão resultante da supressão de desejos físicos ou sexuais e de atenção insuficiente às necessidades corporais. Interpretação psicológica: A situação atual é desagradável. Tem uma necessidade insatisfeita de aliar-se a outros cujos padrões sejam tão elevados quanto os seus e de sobressair acima do comum. O controle dos instintos sexuais restringe sua capacidade de se entregar, mas o isolamento resultante torna imperiosa essa entrega e necessário unir-se com outra pessoa. Isto o perturba, já que tais instintos são considerados fraquezas a ser superadas; acha que somente pelo comedimento continuo é que pode esperar manter sua atitude de superioridade individual. Quer ser amado ou admirado apenas por si mesmo; precisa de atenção , de consideração e da estima dos outros. Em suma: Exige estima como um individuo excepcional.

Seu problema real:

Precisa alcançar uma condição estável e tranqüila que lhe permita libertar-se de uma preocupação que talvez o impeça de alcançar tudo o que deseja.

O Teste das Cores é um instrumento de avaliação de personalidade que consiste em obter informações sobre a personalidade mediante suas preferências e rejeições à cores.


Esta avaliação é situacional, portanto o resultado dependerá exclusivamente das suas opções, seja sincero para que o resultado esteja de acordo com a sua situação real.


Quer fazer o seu? Clique aqui.


PS: Quem ainda não viu, apresento a voces minhas novas Ameeeegãns: GISLLAYNE, JUCYLLEINE, JOSYLLEYNE. São uma graça mesmo. Quando passarem por aqui ofereçam a elas um pouquinho de comida ... mas sem empanturra-las.

Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Aos que estão, aos que vem, aos que foram



Impressionante como em minha vida, pessoas entraram e sairam. Sim sairam! E isto me faz ficar um tanto estranho, pois, paro para pensar nestas pessoas e dói. Surge um vazio bem fundo. É engraçado porque, até aquelas pessoas que eu julgava que iriam crescer comigo ou, me veriam crescer, hoje já nem vejo. Só ficaram na recordação daquelas fotografias, meio que amareladas pelo tempo, mas a falta vai sempre permanecer. Tem aqueles amigos que se foram para outra cidade, dos quais ficou aquele sentimento que hoje se tornou saudade. Outros se foram por não aprenderem a nos compreender ou, por não aprendermos a compreendê-los; incompatibilidade, imaturidade. Como pode isto? Como pode a gente não entender quem a gente gosta? Acho que o esforço não foi suficiente. Para me consolar, penso que estas pessoas foram importantes naquele momento, já longe, de minha vida. Elas contribuiram, e muito, para eu ser quem sou hoje. E o que falar daquelas pessoas que hoje, graças à modernidade dos meios de coumunicação, se integram em nossas vidas, mas que a relação se restringe ao virtual, embora de maneira intensa e profunda. Será que nos veremos um dia? Será que poderemos trocar um aperto de mão, um olhar? Até quando estaremos partilhando desta relação? Sinto por a vida ser assim, sinto por este entra e sai. Aradeço a todos que entraram e ficaram.





Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin