sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A Vida e o Tempo




O que acontecerá com este grande espaço vazio que sou agora? O que me irá preencher quando não sobrar o menor vestígio de ambição, projeto algum, nada de mim? A força da sucção me reduzirá a um buraco negro e desaparecerei. Morrer... Abandonar o corpo é uma idéia fascinante. Não quero continuar viva e morrer por dentro, se preciso continuar neste mundo, devo planejar os anos que me restam. Talvez a velhice seja outro começo, talvez seja possível voltar ao tempo mágico da infância, àquele tempo anterior ao pensamento linear e aos preconceitos, quando eu percebia o universo através dos sentidos exaltados de um demente e estava livre para crer no inacreditável e explorar mundos que depois, na idade da razão, desapareceram. Já não tenho muito a perder, nada para defender: será isso liberdade?


Isabel Allende 







Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

19 comentários:

  1. C.....o!
    Que declaração estupenda!
    Se despir do agora e perceber que a vida é um grande ciclo. Aquilo que deixamos por conta de uma vida material e sem percepção de nós mesmos, na velhice pode retornar. A pele enrugada é a prova de uma experiência que passou. Agora quero ser feliz de novo!
    Emocionate!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Texto fantástico....
    A unica certeza que temos na vida é que envelheceremos, e precisamos curtir cada fase. Não teria graça viver só na juventude, todas as etapas tem suas vantagens, na velhice a experiência é uma delas..

    Otimo dia Paulo!

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei muito com esse texto. Especialmente hoje, nossa...
    Muito bom o seu blog. Perdão pela visita espontânea.

    ResponderExcluir
  4. Amigos Guará, Vane e Diego por estes coments tão enriqucedores do post ... Isabel Allende foi extremamente feliz em sua contextualização, e vcs tiveram a capacidade de uma percepção plena da mensagem desta escritora e pensadora contemporânea.

    bjux meus queridos amigos

    ;-)

    ResponderExcluir
  5. Fantástico texto.Ainda não estou na velhice,mas aos 44 anos,tenho sentido minha infância muito presente em mim,se espichando em uma linha até o hoje.As memórias do que foi vivido são bençãos a meu ver.parabéns por mais esse post 10.:D!!
    beijos.

    ResponderExcluir
  6. obrigado amigo James por este testemunho ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  7. Ai q coisa mais rica, só poderia ter visto por aki mesmo... Adorei... Até Salvei...

    Qto aos seus comentarios, eu sei q nesse periodo vc vai estar em Sampa e parte dele eu estarei tb, eu quero combinar qq coisa com vc, mas vc n me entra no msn, me bloqueou, me jogou no limbo, n quer saber mais de mim....

    Ah Treva

    ResponderExcluir
  8. ah neimmmmmm? treva??? rs ... ando no sufoco estes dias e pouco entrei no msn, qdo entro vc não está ... só consegui encontrar com o Mauri por lá ... enfim ...

    este fim de semana vamos ver se trombamos por lá, e combinamos um café com tequila em sampa ...

    feliz por ter gostado do post ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  9. muito bom mesmo,

    eu sempre penso nisso.

    Never die inside!

    ResponderExcluir
  10. Quando não há mais nada a perder...começamos a ganhar...

    Bom final de semana...
    bjks gauchas!

    ResponderExcluir
  11. enfim AMB ... "Never die inside!"

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  12. então Jana ... isto é fato ... e aí sem dúvida a vida vale a pena ... a liberdade se faz mais presente ...

    bjux querida para vc e Ju ...

    ;-)

    ResponderExcluir
  13. Que felicidade entrar aqui e me deparar com a Allende. Prá mim, ela se encaixa no perfil das maiores escritoras latinas. A maneira em que ela sabe colocar os seus romances no mesmo ritmo dos acontecimentos históricos do Chile,é tocante. E sempre em busca da liberdade, mesmo que seja a do Pinochet

    ResponderExcluir
  14. Obrigado Katrina pela visita e pelo coment altamente relevante ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  15. Forte e verdadeiro!
    Lí, lambi cada palavra sua.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  16. Belíssimo e reflexivo testo, também acho que a idade da razão tira o improviso da vida.
    bjux

    ResponderExcluir
  17. Obrigado Olavo e Wander pela emoção de vcs ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  18. Texto novo publicado faz pouco. Volto.
    Minhas folhas secas com carinho pra ti.

    ResponderExcluir

então! obrigado pela visita e apareça mais, sempre teremos emoções para partilhar.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin