sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Brinquedo de Criança




Nunca segui receita alguma, escolho apenas ingredientes. Misturo e observo os resultados. Faço tudo que me ensinaram que é errado e , finalmente, descubro um erro. Ou não. Odeio regras . Nunca gostei me Manual de Instruções: qaundo pequeno, preferia ficar bulindo no brinquedo novo até que aprendesse, sozinho a jogar. Eu sempre achava mais divertido assim, e continuo achando hoje. Tinha jogos que eu acabava encontrando uma maneira diferente de brincar, aprendi muito isso. Às vezes, a coisa errada é, justamente, a certa a se fazer. O certo de vez em quando é chato demais, não agrada, é errado. Tem momentos na vida, que o arriscar, é não arriscar. Permanecer o tempo inteiro sem correr riscos que é perigoso demais. Havia jogos, que não sabia por onde começar a brincar, complexos. Mas nem sempre agente pode começar tudo pelo começo, deve-se aprender também a fazer sentido do meio por fim. Ou, de repente, saber fazer também sem ter final previsto. Eu não sabia como iria terminar este texto quando comecei a escrever. Na verdade, foi uma surpresa perceber que estava terminando. Eu também sou assim, não conheço todas minhas regras: me escondo algumas pra ir descobrindo depois. Um truque antigo, da minha imaginação.

Fernando Palma



Paulo Braccini
enfim, é o que tem pra hoje...

13 comentários:

  1. Adorei o texto... afinal "Arriscar é preciso" e "Regras foram feitas para serem quebradas".

    Obrigada pelo carinho!!! Beijos...

    ResponderExcluir
  2. Amei o texto!!!

    Eu também nunca gostei de regras..#FATO.

    ResponderExcluir
  3. realmente Cibelle e Glauko regras muitas vezes só servem para serem quebradas ... arriscar é fudamental ... obrigado pelo carinho de vcs ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  4. ai, comentei... acho que to doido...

    ResponderExcluir
  5. Se não nos arriscassemos o que seria feito de nós-estaríamos ainda vivendo nas cavernas,certamente.Belo Texto,Paulo.Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Fernando Palma, arrebentou e foi de uma verdade extrema.
    Precisamos mandar a merda as omissões e medos! A covardia de acreditar que uma "segurança" é mais sólida do que a procura.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Nossa... Muito bom.
    Sinto falta disso em mim... de ter mais coragem pra "quebrar as regras" ou mudar as coisas q estão sempre daquele mesmo jeito. Um dia eu consigo! hehe

    Obrigado pelo comentário no blog!
    Abço ^^

    ResponderExcluir
  8. Obrigado aos amigos Mauri, James, Guará e Theo pelo carinho da presença e pela sensibilidade ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  9. Belo texto. Arriscar é preciso ja que viver não é preciso.
    bjux

    ResponderExcluir
  10. Paulo,
    Que bom compartilhar do sou com você.
    Lendo o Fernando viajei pela infância, pelas mediações do dia.Minha nostalgia me fez relembrar a beleza de seguir a receita minha do hoje.E de seguir permitir outros infinitos.É sei que nem sempre o faço mas, quando faço a vida ganha sentido.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Wanderley e Leslie muito obrigado pelo carinho da presença e pelo registro ...

    viver intensamente e sem medos ... enfim

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  12. Só sabe da vida quem arrisca!
    ADOREI o texto, tem a minha "cara"!

    ResponderExcluir
  13. Obrigado Rosângela pela presença e pelo registro ... com certeza ... só sabe da vida quem arrisca ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir

então! obrigado pela visita e apareça mais, sempre teremos emoções para partilhar.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin